Outras formas de visualizar o blog:

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A catedral: “Bíblia dos pobres” para o “santo povo de Deus”

A arte na Idade Média era essencialmente didática. Tudo o que era necessário o homem conhecer – a história do mundo desde a Criação, os dogmas da religião, os exemplos dos santos, a hierarquia das virtudes, o alcance das ciências, artes e ofícios ‒ todas estas coisas eram ensinadas nas janelas da igreja ou nas estátuas dos pórticos.


Catedral de Chartres: o anjo (acima à esquerda) segura Abraão no momento que ia sacrificar Isaac (embaixo, direita)


O nome de Biblia PauperumBíblia dos pobres – que os impressores do século XV deram a um de seus primeiros livros pode ser bem atribuído às catedrais e igrejas.

Nelas, o simples, o ignorante, todos aqueles que pertenciam à chamada “sancta plebs Dei” ‒ a santa plebe de Deus ‒ aprendiam com seus olhos quase tudo o que sabiam sobre sua fé.



As grandes imagens de espiritualizada conceição apareciam como testemunhas eloqüentes da verdade do ensinamento da Igreja.


Catedral de Chartres: cenas da Paixão de Cristo

As inúmeras estátuas distribuídas segundo um plano escolástico eram o símbolo da maravilhosa ordem que, por meio do gênio de Santo Tomás de Aquino, reinava no mundo do pensamento.

Por meio da arte as mais altas conceições da teologia e da universidade penetravam, em alguma medida, nas mentes do povo mais humilde.

Nós devemos considerar a arte do século XIII como um todo vivo, como um sistema acabado, e nós devemos estudar o modo como ele refletia o pensamento da Idade Média.

Deste modo nós poderemos nos fazer uma certa idéia do alcance verdadeiramente enciclopédico da arte medieval. O século XIII é o foco de nosso estudo porque nele a arte com admirável esforço tentou abarcar todas as coisas.


Catedral de Chartres: Cristo reinante com os quatro evangelhos

A iconografia dos mais ricos trabalhos românicos é pobre demais se comparada com a plenitude do imaginário gótico.

O século XIII é precisamente aquele em que as fachadas das grandes igrejas francesas foram concebidas e realizadas.

Nós não limitamos nosso estudo à arte francesa porque achamos que a arte dos países vizinhos obedeça a regras diferentes das nossas. Pelo contrário, o caráter da arte do século XIII era verdadeiramente universal como o ensinamento da Igreja.

Nós nos contentamos com os grandes temas desenvolvidos com admiração em Burgos, Toledo, Siena, Orvieto, Bamberg, Friburg, da mesma maneira que em Paris ou Reims.

Catedral de Chartres: capela lateral.


Nós estamos certos que o pensamento cristão não se exprime em outras partes como na França. Em toda Europa não há um conjunto de obras de arte dogmática pelo menos comparável ao que encontramos na catedral de Chartres.

Foi na França que a doutrina da Idade Média atingiu sua forma artística perfeita. A França do século XIII foi a mais plena manifestação do pensamento cristão.

(Fonte: Émile Mâle, “A arte religiosa na França no século XIII”, apud “The Dawson Newsletter", Summer 1993.

Desejaria receber as novas postagens de 'Catedrais Medievais' em meu Email gratuitamente

GLÓRIA CRUZADAS CASTELOS ORAÇÕES HEROIS CONTOS CIDADE SIMBOLOS
Voltar a 'Glória da Idade MédiaAS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

Um comentário:

  1. muito bom seu blog , vc sabe tudo de catedrais e historia medieval, por que não fala tambem dos vitrais das catedrais .

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.