Outras formas de visualizar o blog:

quarta-feira, 21 de março de 2012

A Catedral de AQUISGRÃO: reflexo da grandeza carolíngea

A Catedral de Aix-la-Chapelle, a capital do Império de Carlos Magno, é assim chamada em francês. Também é conhecida como Aachen, segundo a designação alemã, ou Aquisgrão em português.

Ela é toda de pedra, e distinguem-se três elementos arquitetônicos: o Dom propriamente dito, que é a cúpula central encimada por outra pequena cúpula, no alto da qual está implantada uma cruz; à direita, uma alta torre; à esquerda, o corpo do prédio, que contém a continuação da igreja. Tudo isso comunica-se por dentro e constitui um só edifício.

A cor da pedra é realmente a que se vê na ilustração.

Há no templo religioso uma fusão de estilos.

A cúpula é românica, portanto com influência romana, mas notam-se nela triângulos com inspiração ogival, ornando-a do lado de fora.

Nesses triângulos há qualquer coisa que já prenuncia o estilo gótico.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Os três Reis Magos e Catedral de COLÔNIA




Belíssima e imponente catedral, a mais alta do mundo, escrínio para os preciosos restos mortais dos primeiros reis que adoraram, nesta Terra, o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores

Renato Murta de Vasconcelos

Fotos ou quadros da Catedral de Colônia tornaram-se conhecidíssimos em todo o mundo. Imponente, com suas duas torres elevando-se a quase 160 m do solo, ela é uma jóia da arte gótica medieval às margens do Reno.

Oppidum Ubiorum: Esse era o nome do florescente núcleo urbano estabelecido pelos romanos, no ano 38 a.C., ao norte das fronteiras de seu Império em terras germânicas.

Quase um século mais tarde, em 50 d.C., o núcleo tomou o nome de Colônia Agripina, em homenagem à esposa do Imperador Cláudio, mãe de Nero.

Com a conversão dos bárbaros ao cristianismo, surgiram nessa cidade, ao longo dos séculos, grandes varões reputados por sua ciência ou santidade de vida, a ponto de Colônia haver sido qualificada de a cidade santa junto ao Reno, ou a Roma do Norte, devido ao grande número de suas igrejas.

Por sua importância, tornou-se sede episcopal e, séculos mais tarde, seus Arcebispos tornaram-se Príncipes-Eleitores do Sacro Império Romano Alemão.