Outras formas de visualizar o blog:

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A graça mística que agiu
nos construtores das catedrais medievais

A construção de uma cidade, templos religiosos e prédios públicos e privados
A construção de uma cidade, templos religiosos
e prédios públicos e privados
Luis Dufaur


No homem medieval é preciso distinguir três categorias sociais essenciais:

1) o homem de oração e de estudo que é o clérigo.

2) o homem de luta e de ideal que é o guerreiro.

3) o homem de trabalho, na cidade ou no campo, que corresponde à plebe.

O próprio ao clérigo é um modo de considerar a pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo, não como um qualquer considera, mas com uma espécie de enlevo apaixonado.

Esse é o caso do bom clérigo, evidentemente. Há também o mau clérigo, ao qual esse elogio não pode caber.

Então, o que caracteriza o bom clérigo é uma espécie de paixão por Nosso Senhor Jesus Cristo por onde, por exemplo, se ele considera a Paixão e Morte de Nosso Senhor, é propenso a se compenetrar de tal modo que até chora.

Se considera a Anunciação, ou os mistérios gozosos, ele é propenso a fazer quadros como os de Fra Angélico.

E ele assim age quando considera Nosso Senhor no Templo e em todos os episódios narrados nos Evangelhos.

Em todas essas considerações o bom clérigo é profundamente refletido, medita muito, e a meditação atinge até o fundo de sua sensibilidade.

Isto o leva, portanto, aos maiores sacrifícios e às maiores renúncias, e daí o grande número de santos entre o clero da Idade Média.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Faça uma visita virtual à catedral de EXETER, Inglaterra

CLIQUE NA FOTO
Se seu email não visualiza corretamente a imagem embaixo CLIQUE AQUI

Dependendo da conexão a visualização levará alguns segundos para começar (fechar a janelinha inicial clicando em 'close Window')

Veja vídeo


A catedral de Exeter está dedicada a São Pedro

Pode parecer paradoxal que uma catedral hoje em uso pelos protestantes anglicanos esteja consagrada ao Príncipe do Apóstolo contra o qual se revoltaram os chefes protestantes na pessoa do legítimo sucessor de Pedro, o Papa.

Porém é tal o prestígio da Igreja Católica que esses revolucionários que se apropriaram indevidamente da catedral católica não ousaram mexer com a dedicatória.