Outras formas de visualizar o blog:

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

As catedrais da Idade Média
germinaram nas almas dos primeiros cristãos

Catedral de Milão, Itália
Catedral de Milão, Itália




Desde que os Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos e os discípulos em Pentecostes até o ponto mais alto da Idade Média, a Igreja esteve num crescimento contínuo.

Houve, por certo, fases de decadência, de crise ‒ nós estamos numa fase dessas!

Mas essas fases de perturbação e opacamento acabam sendo episódicas e sem reflexo na linha geral.

Após os declínios, o preenchimento dos vácuos abertos foi feito de tal maneira que a Igreja cresceu muito em formosura.

O que havia de implícito num católico das catacumbas, após as perseguições romanas explicitou-se enormemente na Idade Média.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

O órgão é a voz da catedral medieval,
eco da voz da Igreja Católica e do próprio Deus

Órgão da catedral de Estrasburgo
Órgão da catedral de Estrasburgo




Procuremos lembrar-se da sensação quando ouvimos pela primeira vez um órgão tocar.

A primeira sensação que eu tive foi de surpresa. Como quem diz: eu não imaginava!

A surpresa era seguida de um maravilhamento: que elevado!

Como isso tende para cima!

Que movimento para cima!

Como vai a uma altura que há uma verdadeira audácia que se quereria ter essa altura! Como isto perfura!

Que alma corajosa!

E de quanta coisa esta alma discrepou e se descolou e com que entusiasmo ela sobe!


Clique para ouvir Missa para os conventos: Elevação, François Couperin (1668 – 1733, Paris) :